sábado, 25 de junho de 2016

NASCIMENTO DE JESUS

O nascimento de Jesus, também chamado de Natividade, foi o nascimento do Messias, que havia sido prometido no antigo testamento, desde Gênesis, e seu cumprimento foi relatado no novo testamento – nos evangelhos.
O Senhor Deus fez essa promessa com o intuito de salvar a humanidade dos seus próprios pecados, pois desde do pecado de Adão e Eva foi prometido por Ele a vinda de um Salvador – JESUS, “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3:15).
Nasceu o prometido de Deus, descendente de Davi, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, JESUS CRISTO de Nazaré. Seu nascimento foi o cumprimento da promessa dada por DEUS a humanidade.
A verdadeira data do nascimento de Cristo é desconhecida. Pouco antes de Jesus nascer, César Augusto emitiu um decreto ordenando “que toda a terra habitada se registrasse”. Todos tinham de se apresentar “na sua própria cidade”, o que em alguns casos poderia envolver uma viagem de uma semana ou mais. (Lucas 2:1-3).
Não existem provas de que Jesus Cristo tenha nascido em 25 de dezembro, então por que o Natal é comemorado nessa data? De acordo com a Enciclopédia Barsa, ela provavelmente foi escolhida pelos líderes da Igreja Católica para que “coincidisse com a festa pagã dos romanos dedicada ‘ao nascimento do sol inconquistado’, que comemorava o solstício do inverno”. Segundo a obra The Encyclopedia Americana, muitos eruditos acreditam que essa data foi escolhida “para que o cristianismo fizesse mais sentido para os pagãos convertidos”.
O nascimento de Jesus aconteceu na cidade de Davi, em Belém, pois era a cidade natal de José, Conforme os versículos de Lucas 2: 4-7 “E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi), a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz. E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Por não haver vaga em pousadas na cidade José e Maria tiveram que repousar em um estábulo e Jesus foi colocado em uma manjedoura após seu nascimento envolto com panos.
No momento do nascimento a bíblia apenas cita a presença de José e Maria, mas após seu nascimento o anjo do Senhor se apresentou a alguns pastores que estavam no campo, próximo ao estábulo, e os anunciou a chegada do nosso Salvador Jesus Cristo e com o anjo apareceu uma multidão dos exércitos celestiais glorificando a Jesus.
Assim que receberam a notícia os pastores foram para a cidade encontrar a Jesus. Ao encontra-lo foram anunciar a chegada do Salvador e contaram quão grande glória os haviam cercados para os comunicar essa importante chegada. E Maria confirmava no seu coração tudo aquilo que foi dito pelo anjo.

Diante do exposto podemos conhecer como foi que ocorreu a chegada do SALVADOR JESUS aqui na terra e entender melhor como correu a primeira fase do plano de salvação para a humanidade, bem como aprendermos que não devemos comemorar o seu nascimento no dia 25 de dezembro.

sábado, 8 de junho de 2013

Reverendo Gay X Bíblia

Quero por meio desse vídeo mostrar os dois lados da situação, entre os ativistas gays e Marco Feliciano.
Um lado (aquele que vemos todos os dias nos jornais), passa a mensagem que Marco Feliciano é preconceituoso e que de um modo geral todas as pessoas que não concordam com o casamento gay, são preconceituosas.
Fica parecendo que os ativistas gays são vítimas e que todos que contrariam os seus "ideais" são "monstros".
Irônico, né? Agora, somos "monstros" por temos opiniões divergentes?
Então, trago esse vídeo mostrando a opinião dos ativistas ( nesse caso, um que se diz reverendo) em relação as pessoas que acreditam na bíblia e não concordam com o casamento gay.

Vejam, com seus próprios olhos:


video



quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

O verdadeiro Mês que Jesus Nasceu

Tudo começa com o nascimento de João Batista... Que foi gerado logo depois do período em que os sacerdotes do turno de Abias serviam no templo, ou seja, no fim de junho ou começo de julho, em nosso calendário. Jesus nosso Senhor, foi gerado pelo Espírito Santo seis meses depois, isto é, no fim de dezembro ou começo de janeiro (provavelmente durante os dias da festa de Hanuká – a festa das luzes). Contando-se os nove meses normais de gestação, segundo estes cálculos cronológicos, Maria veio dar à luz ao nosso Senhor no fim de setembro ou começo de outubro – nos dias da Festa de Tabernáculos, no ano seguinte, ou sétimo mês do calendário judaico – o mês de Etanim (I Rs. 8:2). O sétimo mês judaico era marcado pela soleníssima Festa dos Tabernáculos, a terceira e última das grandes festas instituídas por Deus por intermédio de Moisés.

Podemos concluir que Nosso Jesus não nasceu nem poderia ter nascido em dezembro, nem poderia usar para nascer uma data de festividade pagã, mas usou uma festa judaica, a Festa dos Tabernáculos, como ocasião para vir ao mundo e Ele queria ser lembrado, não como uma figura histórica a ser homenageada, mas como o pão e o vinho da Ceia, que nos alimentam e nos dão o poder para tornar-nos como Ele.
.Ele queria que lembrássemos dele sempre, não como uma figura histórica a ser homenageada, mas como o pão e o vinho da Ceia, que nos alimentam e nos dão o poder para tornar-nos como Ele.
 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Só a Bíblia deve ser nossa regra de fé! Por quê?

Ao longo dos séculos a Igreja Católica tem sempre trabalhado para retirar a Bíblia das pessoas comuns. A primeira tática foi dar a Bíblia em latim, uma língua desconhecida para a maioria dos fiéis. Durante séculos foi um pecado mortal possuir e ler a Bíblia no próprio idioma nativo da pessoa, em Tolosa na França (1229), havia até punição inquisitorial para isto. O conselho de Valencia (1229), o Conselho de Trento (1545) e o Papa Clemente XI (1713) e muitos outros, tudo fizeram para impedir as pessoas de possuir a Bíblia no próprio idioma, enquanto homens como Wycliff, Tyndale e Lutero lutaram para dar a Bíblia no idioma comum das pessoas. O papa Pio IX (1866) em sua encíclica Quanta Cura, afirmou que as “Sociedades Bíblicas” era “uma peste” e deveria ser exterminada. Mas o tempo forçou a Igreja romana a mudar sua estratégia devido a Reforma Protestante. Hoje muitos católicos têm livre acesso às escrituras graças ao esforço destes homens de Deus. Contudo, esta liberdade vem mascarada pela interpretação do tal Magistério da Igreja. Os católicos continuam sendo manipulados pela cúpula romana!
 A palavra escrita é a maneira mais segura que Deus usou para preservar sua vontade dentro do espaço-tempo humano. A Bíblia é a única palavra inspirada de Deus na forma escrita, o mesmo não se dá com as tradições orais. A palavra inspirada, usada em 2 Timóteo 3.16 significa Deus soprou. Assim sendo, as Escrituras é soprada por Deus. Pedro falou que a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo (2 Pe 1.21). Isto confirma que os escritores foram movidos por Deus para escrever aquilo que ele queria. Se Deus inspirou os escritos, concluímos certamente que são perfeitos e infalíveis. Nunca encontramos que a palavra de boca-a-boca (tradição oral) é theopneustos [inspirada]. Jesus quando debateu com o Diabo não usou nenhuma tradição oral, mas usou a frase “está escrito” todas as vezes, uma referência clara as escrituras sagradas. Ele reprovou o método dos fariseus de tentar colocar no mesmo pé de igualdade tradição e escrituras. Os apóstolos na posição de apologistas sempre usaram as escrituras como meio de provar a fé cristã. Na idade pós-apostólica também. É interessante notar que nunca sequer a Bíblia afirma que um dos apóstolos lançou mãos de tradições recebidas de terceiras como meio de provar ou consubstanciar a fé cristã. Judas nos diz que a doutrina cristã chamada de fé (3) foi entregue uma “vez por todas”, para sempre, aos santos, não precisamos de novas revelações ou doutrinas fora da Bíblia, tudo já está completo. 

terça-feira, 31 de julho de 2012

Atual situação dos Cristãos no Egito

Depois que Mubarak deixou o cargo, a alegria dos cristãos rapidamente transformou-se em medo, já que eles experimentaram uma série de ataques dos membros do movimento Salafi e outros muçulmanos. Os extremistas atacaram propriedades, empresas e igrejas de cristãos. A comunidade cristã também foi atacada nas ruas por todo o Egito.

A cristã Marcelle Mageh, 22 anos, disse a agência de notícias Compass Direct News que a perseguição aos cristãos aumentou dramaticamente após o presidente Hosni Mubarak sair do poder e os muçulmanos conservadores tomarem o controle.
Os mulçumanos conservadores são da Irmandade Muçulmana do Partido da Liberdade e da Justiça e da Al Nour, composto por membros do grupo extremista Salafi, no qual possui o candidato à presidência Mohamed Mursi que passou a deter quase dois terços dos assentos parlamentares do Egito (mais de 60%). A função primária do parlamento recém-eleito é selecionar uma comissão de 100 pessoas para elaborar uma nova constituição para o país.
“Mais e mais as pessoas estão buscando a Deus num grande fervor”, disse. No natal passado, cristãos coptas e evangélicos juntaram-se numa vigília em favor dos cristãos feridos durante a onda de protestos. Nessa vigília estiveram mais de 65 mil cristãos.
Lilian Sobhy, um cirurgião que trabalhava em um centro médico durante os motins de outubro, disse que o aumento das perseguições é inevitável. Porém, ele acredita que se a igreja está no lugar certo, ela vai ser gloriosa. “Nós não precisamos estar preocupados em quem vai vencer essa guerra que é espiritual. O que quer que aconteça, continuamos crendo que o Senhor é soberano”.
Indico que você visualize esse vídeo para uma melhor compreensão, endereço do link abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=WbtPsT1V24I&feature=fvst

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Situação dos Cristãos na Síria


Como sabemos, na maioria dos países do Oriente Médio não existe liberdade religiosa, mas na Síria no governo de Bashar Al-Assad os cristãos locais têm um grau de liberdade religiosa. Porém a liberdade religiosa na Síria tem seus limites, segundo um líder ortodoxo, “Há liberdade para praticar a sua religião, mas ainda não há liberdade de escolha. Você pertence à religião na qual nasce”.
 O jornal Charisma News revela que apenas 10% da população são cristãos e 90% da população da Síria são muçulmanos.
Vários prédios que abrigam serviços cristãos foram fechados por não terem sido oficialmente sancionados como igrejas. Estrangeiros que trabalham em igrejas protestantes foram avisados que seus vistos não serão renovados graças a um decreto que os proíbe de trabalhar para as injeeli, nome dado às igrejas protestantes da Síria. No verão, várias colônias de férias cristãs foram canceladas. As medidas foram tomadas especificamente contra as igrejas protestantes, que buscam refugiados do Sudão e do Iraque, e empregam trabalhadores estrangeiros e sírios. Dezenas de milhares de cristãos iraquianos fugiram para a Síria após a invasão norte-americana em 2003, e recentes massacres aumentaram esses números.
Mas a principal razão para a repressão é que líderes católicos e ortodoxos, frustrados com o sucesso das novas igrejas, reclamaram com o governo. Converter muçulmanos ao cristianismo é ilegal, mas as igrejas mantinham um acordo de que não tentariam conquistar os fieis umas das outras. Protestantes entusiasmados desdenharam da regra não-escrita. “Temos várias igrejas – mas os protestantes estão roubando nosso rebanho”, diz um pastor ortodoxo, que pediu para manter-se anônimo.
O governo não discrimina o cristianismo em particular, e pretende manter a Síria secular e religiosamente harmônica. Mais do que isso, ele tem consciência de que o regime é comandado por membros da minoria alauíta, uma facção muçulmana, e teme que seu poder seja desafiado por grupos religiosos como a Irmandade Muçulmana. Logo, se apressa em reprimir os excessos religiosos. Nos últimos dois anos (2009 - 2010), as escolas islâmicas foram mais reguladas, e as universitárias foram proibidas de usar o niqab, que cobre seus corpos inteiramente.
Atualmente, os cristãos da Síria temem que com a possível queda de Bashar al-Assad e a tomada de poder por um governo provavelmente islâmico eles sejam privados da liberdade de culto no país árabe, pois segundo a Reuters, os rebeldes opositores do governo vigente incluem o Exécito de Libertação Sírio, os jihadistas da al-Qaeda, a Irmandade Muçulmana e os sunitas liberais pró-democracia.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Jesus é o nosso caminho, verdade e vida!

João 14: 1-6
 Como os pecadores podem ter certeza de ir para o céu? Como podemos ter certeza de que nossas orações estão chegando até Deus? Para onde vamos depois que morremos?
Jesus solucionou todas essas perguntas quando disse que era o caminho, a verdade e vida. Depois da morte de Jesus Cristo a única maneira de chegar até Deus é por meio de Cristo, pois na antiga aliança (Dez mandamentos) só os judeus podia ter contato com Deus por meio dos sacerdotes, estes levavam as petições do povo até Deus. Mas, hoje por meio de Jesus Cristo você pode entra no seu quarto e orar em silêncio (assim ensinou Jesus, em: Mateus 6: 6), não é mais necessário leva suas petições para ninguém! O véu foi rasgado (Lucas 23: 45)! Você tem livre acesso ao Santo dos Santos (onde na antiga aliança só os sacerdotes tinha). Por isso que em João 14: 6 Ele disse: Eu sou o caminho...  Ele também disse nesse mesmo versículo que é a verdade e aquele que o enviou é verdadeiro (João 7: 28), pois Ele nunca mentiu, sempre foi fiel com todos, nós devemos segui o exemplo de Cristo e sempre sermos verdadeiros.
Ele é a vida porque todas aquelas pessoas que estão mortas espiritualmente, ao aceitarem Jesus cristo como seu Senhor e Salvador, com está descrito em João 3: 3 – 7 (onde o próprio Cristo diz a Nicodemos que é necessário nascer do Espirito) ficarão vivas espiritualmente. Foi o que aconteceu com o centurião Cornélio em Atos 10, ele confessou Cristo como seu Senhor e nasceu de novo. Porém, aqueles que morrem sem Ele, passarão pelo dano da segunda morte (Ap. 2: 11 e Ap. 21: 8).  Mas aqueles que morrem com Cristo viverão com Cristo, pois Ele mesmo disse que ia prepara morada e viria nós buscar (João 14: 3), essa morada foi descrita em apocalipse 21: 12, um lugar de esplendida beleza e perfeição. Onde só Ele tem a chave, pois só Ele é o caminho.